Helô Sampaio

Setembro, mês especial que só em chegar com as flores já nos traz uma sensação de sol, luz e alegria, deixando o nosso espírito enlevado, em paz absoluta. Sempre vem com um astral maravilhoso, mesmo ainda com esta maldita pandemia ameaçando.

Para mim, é um mês muito especial, pois era o aniversário de minha mãe e é o de Ana Cláudia, a minha primeira sobrinha, que nasceu no mesmo dia que a vovó Nieta, em 10 de setembro. A alegria e o amor eram em dobro.

Em setembro, tem fim o Inverno, estação que não conhecemos em Salvador. Aqui temos a Primavera e o Verão, com chuva ou sem chuva. São as quatro estações da nossa capital, todas de calor. O casaco de lã a gente tem que ter para as viagens, porque usar aqui, usamos só quando queremos fazer uma foto fingindo sentir frio.

Moro aqui há mais de 50 anos e não me lembro de ter sentido nunca um frio ´brabo’, daqueles de precisar se embrulhar num casaco de lã. Ás vezes faz um friozinho, é quando a gente aproveita para tirar as roupas do armário. Mas quem quiser frio, frio de verdade, tem que ir para Vitória da Conquista ou descer para os estados do Sul. Aqui, só temos calor e dengo, neguinho. Quer mais, fio?

As praias já voltaram a ficar cheias, ou melhor, lotadas, com as pessoas agoniadas pelo grande período que tivemos de reclusão e que permanece até agora, com uso de máscara e de ter que ficar separado das pessoas. É que nós somos dengosos, gostamos de aconchego e de xêro no cangote. Isso é a baianidade.

Neste domingo antes do feriado, saí com os irmãos para dar uma volta pela cidade e finalizamos no Abaeté. Resolvemos almoçar por lá, e acertamos na escolha: a mistura do camarão com peixes e mariscos estava deliciosa, principalmente quando saboreada com aquela vista linda da Lagoa com as suas dunas e areal. O mano Paulo voltou para São Paulo feliz da vida, mas deixou as irmãzinhas - mesmo com as barriguinhas cheias - tristes de saudade. Trem bom é família.


E aqui estou, posando de sereia que escapou da lagoa

Vou te contar, viu, meu amigo, tem cidade mais linda que a nossa não. Pode ter igual, mas mais bonita, tá difícil. Sair com o carro, descer até a Ribeira, Boa Viagem, Ponta do Humaitá, vir pela orla até o Abaeté, é um privilégio, é um bálsamo para o espírito. Venho tomando o ventinho na cara ou, quando tem quem dirija, colo o nariz no vidro para apreciar cada detalhe desta minha cidade, cada monumento, cada pessoa, casa casinha.

E chego à conclusão que Salvador é linda, é uma cidade especial. Você que está aí sentando conversando comigo, na próxima folga que tiver ponha a família no carro e faça este percurso. E depois pode mandar um beijinho de agradecimento, viu, fifo?

Mas agora vamos ‘quetar o facho’ e preparar um rango gostoso para o nosso amorzinho, inspirado nas delicias que curtimos em nossa cidade. Porque por onde passamos, tem acarajé delicioso, abará, pastel, sanduiches criativos e gostosos, doces maravilhosos de banana, leite, cocadas, e comidas variadas (para engordarmos mais uns graminhas). A cidade é uma perdição para a nossa balança. Ou tomamos cuidado ou descosturamos pelas costas, he-he. 

Recebi pelo zap uma mensagem com pratos sedutores e resolvi ligar para ‘Delícias da Jô’, para conhecer o trabalho dela. Que surpresas quando, na conversa, descobri que ela é jornalista, foi minha aluna e é neta de Lourença Fialho, que foi minha professora no ginásio de Ilhéus, o IME, Instituto Municipal de Educação (Lourença e Iara Aquino eram as minhas professoras amadinhas).

Vejam a sugestão que Jô mandou para você esperar a Primavera. Jô é descendente de libaneses e aprendeu a preparar as maravilhas com sua vovó Loura Fialho. Daí, em 2018, criou o Delícias da Jô, que tem como eixo o resgate a culinária árabe.

Se quiser, ela abastece a sua mesinha de guloseimas com tortas de frutas vermelhas, mousse de chocolate, tábua árabe, enfim, almoço completo ou cesta de café, basta fazer o pedido com antecedência. Basta ligar (71 99337-0460) que as delicias chegam à sua casa. Hoje, vamos preparar este arroz de frango libanês, um dos seus pratos preferidos.

-- Conheça o cardápio virtual da Jô

Aventais a postos, vamos para a cozinha.

Arroz de Frango Libanês da Delícias da Jô

Ingredientes:

-- 1k de sobrecoxa e peito de frango
-- 1 ½ xícara de arroz
-- 5 colheres (sopa) de canela em pó
-- Uma cebola pequena picada
-- 2 canelas em pau
-- 2 folhas de louro
-- Um limão
-- 2 dentes de alho socados
-- Sal e pimenta síria quanto baste
-- Uma pitada de pimenta do reino
-- 3 colheres (sopa) de óleo
-- Uma colher (chá) de manteiga. 

Modo de preparar:

1 - Limpar o frango, lavar com água e limão e temperar com alho, sal, pimenta síria e canela;

2 - Esquentar o óleo (2 colheres) na panela e refogar com 2/3 da cebola. Quando estiver dourada, selar o frango, um a um, e em seguida, colocar as folhas de louro e canela em pau, ajustar a pimenta, o sal e a canela.

3 - Colocar água fervente até cobrir o frango. Deixar cozinhar até o ponto tenro do frango. O caldo do frango deverá ser coado para o cozimento do arroz. Reserva-lo, bem como o frango, em uma tigela para esfriar um pouco.

4 - Em uma panela limpa, esquentar uma colher (sopa) de óleo e uma de manteiga; acrescentar em seguida 1/3 da cebola. Refogar o arroz já lavado e colocar uma pitada de sal, uma colher (sobremesa) da pimenta síria e uma colher (sopa) de canela em pó. Acrescentar o caldo do frango ainda morno e completar com água, quanto baste.  Após cozinhar o arroz, tampar a panela por 10 minutos e reservar.

Montagem - Desfiar todo o frango em tiras largas e carnudas. Para montar, na primeira camada, colocar o arroz, em seguida, o frango. Repetir por mais uma vez as camadas e finalizar com amêndoas em lasca torradas.

Agora é só reunir a turma e a família na mesa e se deliciar, de preferência acompanhando com tabule, e quibes crus e de forno, que a culinária árabe também é a minha preferida. Bom apetite! 

Colunas anteriores
Ver mais notícias desta seção: mais recentes · mais antigas