Música

Roberto Mendes se apresenta no SÉRIE MÚSICA #EMCASACOMSESC

Que também tem shows de Yaniel Matos Trio, Evandro Fióti e Alzira E e Iara Rennó

Foto: José de Holanda
Música
Roberto Mendes

A série Música #EmCasaComSesc inaugurou uma nova fase: agora, as apresentações acontecem em lives transmitidas da casa dos músicos ou diretamente dos palcos das unidades do Sesc, ainda sem a presença de público e dentro de todos os protocolos de segurança.

Com a mudança, o Sesc São Paulo passa a acolher shows com formações maiores, que contarão com os recursos do palco para a transmissão. O formato híbrido, com a manutenção dos shows que acontecem no ambiente domiciliar, permite com que a série continue oferecendo encontros com músicos de outros estados e com artistas em condições de maior vulnerabilidade ao coronavírus.

Ao mesmo tempo, ao abrir as portas dos palcos do Sesc, dá-se oportunidade a mais profissionais, ajudando a estimular o setor cultural. As apresentações seguem no mesmo horário, 19h, no Instagram Sesc Ao Vivo e no YouTube Sesc São Paulo.

Terça-feira (27/10), dia do Instrumental Sesc Brasil, o palco do Teatro Anchieta, no Sesc Consolação, recebe o show de Yaniel Matos Trio - formado pelo músico cubano radicado no Brasil, Yaniel Matos (piano e violoncelo), e pelos instrumentistas Sidiel Vieira (contrabaixo acústico) e Rodrigo Digão (bateria).

No repertório da apresentação, músicas como " Nague", "Aché" e "Bejuco", presentes em "Carabalí" (2017), trabalho autoral de Yaniel inspirado em lembranças herdadas de sua terra natal, Santiago de Cuba, e composto de vertentes musicais afro-cubanas (como conga, bembé e tumba francesa), harmonias da música europeia e improvisação. Artista de formação clássica, Yaniel Matos ressalta a influência negra na música latino-americana em seus trabalhos.

Na quinta-feira (29/10), o compositor, cantor e violonista baiano Roberto Mendes apresenta "Quem Vem Lá Sou Eu", diretamente de sua casa, em Salvador (BA), com a participação de seu filho, João Mendes (violão e voz), e de Tedy Santana (percussão). Durante a live, o artista mescla clássicos de sua carreira e composições ine?ditas, resultantes de décadas de pesquisa ao xaréu e a chula, gêneros musicais tradicionais de Santo Amaro da Purificação, município do Recôncavo Baiano.

O show mostra ‘o samba antes do samba’: as matrizes africanas da música do Reco?ncavo Baiano que ainda pulsam nos versos da chula - ritmo conhecido hoje como Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade pela UNESCO, do qual o artista é pesquisador e estudioso - e na técnica percussiva de tocar os instrumentos de corda. Roberto Mendes, que iniciou sua carreira em 1972, possui 11 álbuns lançados, dois livros e um DVD. Suas composições são interpretadas por nomes da música brasileira como Maria Bethânia, Gal Costa, Caetano Veloso, Sérgio Mendes e Gilberto Gil.

Sexta-feira (30/10), Evandro Fióti apresenta o show "Gente Bonita" diretamente do palco do Sesc Pompeia. Acompanhado por banda, o músico e cantor mostra os mais recentes sucessos de sua carreira, a exemplo do single "Quando For Falar de Amor" (2020, parceria com a banda Tuyo), faixas de seu primeiro EP, que dá nome ao show, lançado em 2016. O show traz também algumas releituras. Fióti comanda também da Laboratório Fantasma, gravadora e produtora que abriu com o irmão, Emicida.

O EP de 2016 se desdobrou em uma turnê que passou por importantes palcos nacionais e estrangeiros - como os dos festivais Bananada (GO), Rider Dá Pra Fazer (RJ), CoMA (DF), da rádio Funkhaus Europa, em Dusseldorf (Alemanha), e Art Basel, em Miami (EUA), onde se apresentou ao lado do rapper norte-americano Twelve'len. De lá para cá, o artista vem desenvolvendo importantes parcerias e obtendo reconhecimento musical.

No sábado (31/10), o palco do Sesc Pompeia recebe as cantoras Alzira E e Iara Rennó, mãe e filha, com a participação dos músicos Curumin (percussão) e Peri Pane (cello e voz). Em um show inédito, as duas cantoras mostram canções que marcam suas histórias juntas e outras que falam de suas trajetórias individuais. A apresentação traz as parcerias mais recentes das artistas, como "Sol A Sol" e "Duas Bocas", compostas durante o período de quarentena, e clássicos de seus respectivos repertórios, como "Norte" (Alzira E/ Itamar Assumpção) e "Querer Cantar" (Iara Rennó/ Gustavo Galo).

Durante a live, as cantoras também tocam baixo, guitarra e violão. Alzira E atua como compositora, cantora e instrumentista desde 1978. Com 14 discos que registram sua presença na música brasileira contemporânea, tem suas composições gravadas por nomes como Ney Matogrosso, Zélia Duncan, Virgínia Rodrigues e Maria Alcina. Iara Rennó iniciou a carreira cantando com a mãe, além de ter integrado a banda de Itamar Assumpção, como vocalista (2000 a 2003). Tem seis discos lançados e nomes como Elza Soares, Gaby Amarantos, Ava Rocha e Lia de Itamaracá entre seus intérpretes.
 

Agenda 27 a 31 de outubro, 19h

27/10, terça: Yaniel Matos Trio: Yaniel Matos (piano e violoncelo), Sidiel Vieira (contrabaixo acústico) e Rodrigo Digão (bateria).

29/10, quinta: Roberto Mendes. Participação: João Mendes (violão e voz) e Ted Santana (percussão).

30/10, sexta: Evandro Fióti e banda.

31/10, sábado: Alzira E e Iara Rennó. Participação: Curumin (percussão) e Peri Pane (cello e voz).