Adiberto de Souza

Recorte de jornal

Publicado no jornal aracajuano A Notícia, em 22 de setembro de 1896.

A partir de domingo, os candidatos a prefeito e vereador já podem pedir votos, inclusive pela internet. Este pontapé inicial funciona como um ensaio para o horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão, marcado para começar no próximo dia 9.

Aí, sim, o povo terá pela frente um show de blá-blá-blá dos diabos, com auto-elogios, ataques aos adversários, fake news a torto e a direito e, principalmente, promessas para todos os gostos.

Só no 1º turno serão 34 dias de lorotas nas emissoras de rádio e TV. É muito tempo para o candidato tentar convencer os eleitores que ele é o melhor para administrar a cidade.

Os postulantes a uma cadeira na Câmara de Vereadores terão um espaço menor no horário eleitoral gratuito, porém vão se esforçar para conquistar o número de votos suficientes às suas eleições.

Quem se sair melhor no show de blá-blá-blá ganhará um emprego muito bem remunerado e bancado pelo suplicante que acreditou nas mirabolantes promessas. Crendeuspai!

Baculejo federal

A Polícia Federal amanheceu, nesta sexta-feira, assustando políticos de Tobias Barreto. Por decisão judicial, os homens de preto deram um baculejo em três endereços daquela cidade sergipana. Segundo a assessoria de comunicação da PF, foram cumpridos três mandados de busca e apreensão relacionados a uma investigação que apura suposta compra de votos nas eleições de 2018. Danôsse!

Liberou geral

Aos poucos, o governo de Sergipe vai liberando geral, apesar de o coronavírus continuar fazendo vítimas no estado. Ontem, o governador Belivaldo Chagas (PSD) anunciou a reabertura de cinemas, teatros, museus, etcétera e tal. Também autorizou a ampliação do horário de funcionamento de bares e restaurantes, bem como do número de participantes nos eventos em ambientes abertos. Tomara que os sergipanos continuem seguindo as orientações sanitárias para evitar o aumento da propagação da Covid-19. Oremos!

Caixão no palanque

Morto há sete anos, o ex-governador Marcelo Déda (PT) pode ser o divisor de água das eleições em Aracaju. Talvez por falta de predicados, alguns políticos têm se amparado nas obras e ações do saudoso político sergipano. Agora mesmo, o candidato a prefeito Márcio Macedo (PT) recorreu à memória do ex-governador para criticar a administração do concorrente: “Déda reformou todas as Unidades de Saúde de Aracaju. Não fez como Edvaldo, que só pintou e disse que reformou”, discursa Macedo. Quando será que vão tirar o caixão de Déda dos palanques? Misericórdia!

Santa ignorância

Como já era esperado, a Assembleia aprovou, ontem, a intervenção do Estado na Prefeitura de Canindé do São Francisco. Chamou a atenção a ignorância do deputado Rodrigo Valadares (PTB), que votou contra o decreto porque “não sei quem é Edgard Mota, nunca ouvi falar dele”. Ora, custava ao dito cujo pesquisar antes sobre o interventor? Tivesse se dado a esse trabalho, o imaturo Rodrigo ficaria sabendo que Edgard Mota é um cidadão com inúmeros serviços prestados a Sergipe e, por isso mesmo, pra lá de conhecido, inclusive na Assembleia, onde já foi diretor. Marminino!

Conta gotas

O governo de Sergipe começa a pagar os salários deste mês na próxima quarta-feira. Neste dia, recebem os servidores com vínculo efetivo ativos, aposentados e pensionistas com vencimentos de até R$ 3 mil. Também bota o salário no bolso o pessoal efetivo do Sergipeprevidência, Ipesaúde, Segrase, Agrese, Cohidro, Codise, Cehop, Emdagro, Emsetur, Emgetis, Pronese e todos os servidores da Secretaria da Educação. Quem ganha mais de três mil “pilas” só verá a cor da grana no distante dia 9 de outubro. Danôsse!

De papel passado

O prefeito Edvaldo Nogueira (PDT) e sua candidata a vice Katarina Feitosa (PSD) registraram, ontem, a chapa na Justiça Eleitoral. Batizada de “Pela Vida Pela Cidade”, a coligação liderada pela dupla é composta por 10 partidos, num arco de alianças que contempla centro, esquerda e direita. O programa de governo de Edvaldo e Katarina, também registrado no TRE, revela ser “gratificante olhar para trás e ver que, em três anos e nove meses, nunca se fez tanto por Aracaju”. Então, tá!

Mesários de sobra

Enganou-se quem pensou que a pandemia iria afugentar as pessoas das eleições. Quer um exemplo? O Tribunal Regional Eleitoral já atingiu a quantidade de mesários para atuar no pleito. O TRE tinha 15 mil nomes cadastrados e agora outras quatro mil pessoas se inscreveram para trabalhar no dia da votação. Segundo Marcelo Gerard, coordenador das eleições 2020 em Sergipe, já tem gente de sobra, pois a Justiça Eleitoral precisa de 18.760 mesários para viabilizar a eleição. Esta informação é do blog Primeira Mão.

Ministro desajustado

Viram a patada preconceituosa do ministro da Educação, Milton Ribeiro? Para o dito cujo, a homossexualidade de jovens é consequência de “famílias desajustadas. Falta atenção do pai, falta atenção da mãe. Vejo menino de 12, 13 anos optando por ser gay, nunca esteve com uma mulher de fato, com um homem de fato e caminhar por aí. São questões de valores e princípios”, afirma o pastor. Desajustado é o ministro. Coitada da família que pariu tal estrupício. Vade retro Satanás!

Bondades manjadas

Apoiador da candidata a prefeita de Aracaju, delegada Danielle Garcia (Cidadania), o empresário Milton Andrade (PL) criticou as recentes bondades do governo estadual com o servidor público. O moço lembra que na campanha eleitoral de 2016, o então governador Jackson Barreto (MDB) antecipou o 13º salário. Antes do pleito de 2018, o governador Belivaldo Chagas (PSD) também pagou o 13º antecipado e reduziu o preço do gás de cozinha. Agora, o “Galeguinho” voltou a anunciar uma série de bondades para os servidores, inclusive, a manjada antecipação do 13º salário. Home vôte! 

Ducha fria

E o senador Alessandro Vieira (Cidadania) quer mesmo colocar água no chope do colega Davi Alcolumbre (DEM). Para tanto, o cidadanista encomendou um parecer à Consultoria Legislativa do Senado sobre reeleição para a Mesa diretora. Os consultores afirmaram ser “inequívoco” que a Constituição proíbe a reeleição nas Casas do Congresso “dentro da mesma legislatura”. Nem precisa dizer que Alcolumbre está por aqui com Alessandro. Cruzes!

Colunas anteriores
Ver mais notícias desta seção: mais recentes · mais antigas